Minha Amiga

Minha amiga, não se deixe endurecer.
Com seu coração deite no bosque como os namorados fazem,
deixe a lua te banhar.
Seja água em alguns momentos,
torne-se o mar do rio vermelho,
ou de Ondina abençoado pelos santos católicos e de umbanda.

São tantas paixões num corpo só.

Esvazie-se da luxúria exterior
transe com sua alma.

Forme um belo corpo no espelho
Seja a deusa invejável não vulgar.

Mas, ame quem os inveja,
Abra seu coração, torne-se vulnerável até mesmo em tempestades.

Há milhões de águas, luas, deuses soprando o seu bálsamo diário,
E um fogo brando querendo se acender paulatinamente no seu espírito.
Amém!